GRUPOS DE TRABALHO

Regulamentação sobre resíduos e agregados reciclados e artificiais em Geotecnia

 

-    Coordenação: Castorina Silva Vieira (FEUP)

-    António José Roque (LNEC)

-    Joana Maia Dias (FEUP)

-    Mafalda Mota (APA)

-    Maria Ivone Maçarico (IP)

-    Nuno Fernandes (Tecnovia)

-    Paulo Biscaia (RCD)

-    Rui Dores (EGF)

 

Objetivos

-    Promover e divulgar o conhecimento sobre a valorização de resíduos e incorporação de subprodutos e materiais reciclados em obras geotécnicas.

-    Contribuir para a implementação efetiva da incorporação de matérias-primas secundárias (subprodutos e materiais reciclados) em obras geotécnicas.

-    Criar e manter atualizada uma base de dados de toda a regulamentação (legislação, normalização, especificações e guias de utilização) no âmbito dos resíduos e da utilização de subprodutos e materiais reciclados em Geotecnia.

-    Colaborar na escrita de um livro, que será publicado pela CPGA, com a inclusão de um capítulo sobre o âmbito do GT.

 

Atividades desenvolvidas em 2017

-    Formação do GT.

-    Definição dos objetivos.

-    Seleção dos resíduos a considerar pelo GT.

-    Distribuição de tarefas pelos membros do GT.

 

 

Terrenos Contaminados

 

-    Coordenação: Sofia Barbosa (UNL)

-    Celeste Jorge (LNEC)

-    José António Almeida (UNL)

-    Magda Roque (AQUALOGUS)

 

Objetivos

-    Elaboração de publicação no tema do GT.

 

Atividades desenvolvidas em 2017

-    Formação do GT.

-    Definição dos objetivos.

-    Desenvolvimento do draft do índice da publicação a desenvolver sobre o tema do GT.

 

 

Geotermia superficial

 

-    Coordenação: José Lapa (U. Aveiro)

-    Secretário António Figueiredo (U. Aveiro)

-    Ana Vieira (LNEC)

-    Luís Coelho (Instituto Politécnico de Setúbal)

-    Elsa Ramalho (LNEG)

-    Carla Lourenço (DGEG)

-    Luís Silva (ADENE)

-    Pedro Ribeiro Madureira (Synege Loures)

-    Claudino Cardoso (U. de Aveiro)

-    Francisco José Freitas Lucas (Instituto Politécnico de Castelo Branco)

-    Victor Miguel Pissara Cavaleiro (U. Beira Interior)

 

Objetivos

-    Definição de Geotermia Superficial: Conceitos; Terminologia; Sistemas.

-    Estado da arte: Caraterização dos sistemas energéticos na edificação; Eficiência energética dos sistemas de climatização baseados na geotermia superficial; Análise do plano de eficiência energética nacional; Sustentabilidade energética.

-    Sistemas com utilização da geotermia superficial de baixa entalpia e assimiláveis: Sistemas de aquisição de energia; Sistemas de climatização e AQS; Sistemas híbridos.

-    Casos de estudo.

-    Regulamentação existente em Portugal e em países do sul da Europa: Normas, especificações, legislação, diretivas europeias, e guias de boas práticas.

-    Investigações correntes: Necessidades para evolução da tecnologia; Publicitação dos conceitos e do conhecimento da tecnologia; Expansão para a climatização urbana ou “district heating”.

-    Conclusões do Grupo de Trabalho.

 

Atividades desenvolvidas em 2017

-    Formação do GT.

-    Definição dos objetivos.

 

 

Metodologias de avaliação qualitativa e quantitativa da sustentabilidade

 

-    Coordenação: Tiago Miranda (UMinho)

-    Maria de Lurdes Lopes (FEUP)

-    Ivo Rosa (Teixeira Duarte SA)

-    Diana Matias (Manuel Couto Alves SA)

-    Nuno Cristelo (UTAD)

 

Objetivos

-    Revisão das metodologias mais atuais para avaliação qualitativa e quantitativa da sustentabilidade em geotecnia, incluindo posterior elaboração de documento com introdução teórica aos métodos coligidos e exemplos de aplicações concretas.

-    Promover discussão acerca da aplicação e adaptação à geotecnia das teorias e ferramentas existentes, incluindo a organização de palestras e encontros entre as comunidades geotécnicas provenientes da academia e da indústria, visando a criação de um entendimento comum relativo às necessidades reais das empresas nacionais.

-    Com base nos resultados coligidos no ponto anterior, elaborar documentação complementar para utilização em projeto geotécnico, incorporando as sugestões de adaptação, simplificação e desenvolvimento.

-    Desenvolvimento de software para utilização em projeto geotécnico, baseado quer no conhecimento já existente, quer nas alterações a promover/sugerir no ponto anterior.

 

Atividades desenvolvidas em 2017

-    Formação do GT.

-    Definição dos objetivos.

 

 

INSCREVA-SE CONTACTE-NOS
 CPGA